terça-feira, 8 de novembro de 2016

golpe



fotografia de frederico kilian
é  tempo o que tenho
minha filha
para te oferecer

é tempo o que tenho a entregar
para o amor

este coração rancoroso 
vendo o riso escorrer (lodoso) das bocas boçais
o ricto de sempre 

o tempo em conta-gotas
continua escorrendo
uma lágrima por segundo
no coração da Libéria, miha filha, na Eritréia,
em todo o mundo

nas construções precárias, nas lojas, 
nas ruas, nas esquinas, 
na faina dura da casa
com seus tentáculos de tempo

na tentativa e no erro, minha filha, 
me entrego fausto à vida 
seguindo a linha do asfalto
atravessando o viaduto
a pé, você sabe
procurando pelo mar 
em plena avenida


e os olhos vazios dos mortos 
os corpos empilhados
as frontes sujas de sangue

a palavra
quer engravidar
de sonhos, 
filha, 
de moinhos de vento


o lugar da memória, de mariana falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário